Casal de Líderes da Regional AM-MANAUS Promove Doação de Marmitas Para Pessoas em Situação de Rua

Filantropia - Marmitas

Ação semanal que começou em família ganhou corpo, em quase um ano são aproximadamente 14 mil refeições distribuídas junto com Revistas.

Iniciada em março de 2021, ação semanal que começou em família ganhou corpo. Das 24 marmitex de macarronada da primeira entrega, hoje a média ultrapassa as 300 unidades. Em quase um ano são aproximadamente 14 mil refeições distribuídas junto com Revistas Sagradas, havendo casos de pessoas que, após lerem, acabaram saindo da condição de sem-teto.

O dia 1º de março para a Família Yokoyama, de Manaus/AM, de praticantes e líderes do Ensinamento da Regional AM-MANAUS, agora também entra para o calendário de grandes memórias dos seus integrantes, não apenas por marcar a fundação da Seicho-No-Ie.

Foi nesta data, em 2021, que o casal de preletores Wanderley Kasutoshi Yokoyama e Ilka Kaoru Hanashiro Yokoyama, iniciaram a entrega de marmitex de macarronada para moradores em situação de rua na capital Manaus, com a ajuda dos filhos Márcio Yukio Yokoyama e Ricardo Eidi Yokoyama, e da namorada de Márcio, Blenda Karoline Bahia da Silva.

“Para esta primeira entrega, nas ruas, conseguimos levar 24 marmitas, que saíram rapidamente, sendo que na semana seguinte decidimos aumentar para 70 unidades, o que também se mostrou muito pouco para a demanda que encontrávamos”, explica a Prela. Ilka.

Realizando a ação uma vez por semana, a cada saída para as ruas a Família Yokoyama se deparava com a imagem de mais pessoas, famílias com crianças e idosos revirando lixeiras à procura de comida.

A cena começou a calar fundo e eles acabaram se tornando o núcleo inicial de um projeto espontâneo que hoje envolve vários voluntários, empresas e doadores.

“Fomos aumentando a quantidade pouco a pouco e começaram a aparecer pessoas desejando ajudar, sendo que hoje conseguimos distribuir uma média de 300 marmitas”, explica a Prela. Ilka, que lembra que na distribuição nas vésperas do Natal chegaram a preparar e entregar 401 marmitex.

Acompanhe um apanhado acerca dessa ação que já chegou a inspirar outras Regionais da Seicho-No-Ie espalhadas pelo país e que já distribuiu, ao longo de 11 meses, ou 47 semanas, aproximadamente 14 mil refeições e também peças de roupa e calçados para pessoas em situação de rua, no centro e na periferia de Manaus/AM.

Família unida faz o bem unida – O histórico do casal, na Seicho-No-Ie, faz deles referências. Ambos já ocuparam o cargo de Supervisor Doutrinário Administrativo da Regional AM-MANAUS. Atualmente, o Prel. Wanderley é Presidente da União das Associações da Prosperidade (UAP) e a Prela. Ilka é Coordenadora da Campanha para a Festividade do Santuário Hozo, do Ciclo de Estudos e dos Ofícios Religiosos.

Contudo, foi vendo a entrevista de um padre católico na tevê que Ilka, que é cirurgiã dentista e possui um consultório na capital amazonense, se sentiu tocada.

“Ele contou que preparava três quilos de macarrão e ia entregar nas ruas para os necessitados, mas ia além, conversando e dando atenção às pessoas”, lembra a Prela Ilka.

Sensibilizada, propôs para a família fazer o mesmo. O marido, também cirurgião dentista, mas que fez carreira na Polícia Militar (PM) como Comandante do Projeto Formando Cidadão no estado do Amazonas, importante ação social da PM, aceitou na hora.

Também de pronto os filhos, ambos estudantes de medicina, toparam. Iniciaram a ação imediatamente. Compraram os mantimentos, prepararam e saíram para a entrega das 24 marmitas que conseguiram preparar na noite de 1º de março de 2021.

Mal sabiam eles que quase um ano depois a ação mobilizaria empresas, estudantes, familiares e voluntários que teriam suas vidas marcadas para sempre. Hoje são mais de 14 mil refeições distribuídas, o mesmo número de Revistas Sagradas da Seicho-No-Ie doadas e uma coleção de histórias de pessoas que, após receberem a ajuda, leram sobre o Ensinamento e recuperaram suas vidas de volta, com uma casa, um emprego e um futuro esperançoso pela frente.

Logo na primeira entrega, as 24 marmitas preparadas  foram distribuídas rapidamente. A família Yokoyama voltou para casa profundamente tocada com a imagem de grávidas, idosos e crianças necessitando de uma refeição. Sem poder atender muitas pessoas, nas primeiras semanas ficaram com seus corações partidos vendo-as procurando avidamente por comida em lixeiras. Decidiram aumentar pouco a pouco a quantidade e, com o tempo, passaram a escrever mensagens na tampa das marmitex de macarronada com molho de tomate, salsicha milho e batata palha. Palavras como “Sou um com Deus”, “Obrigado, papai e mamãe” e “Você é Luz de Deus”, em conjunto com as Revistas Sagradas entregues a cada sem-teto, passaram a fazer grande diferença na vida de muitos que, com o tempo, recuperaram emprego, moradia e condições de sobrevivência.

Em média, são usados 60 pacotes de macarrão, 60 cebolas, 24 litros de molho de tomate e 20 quilos de salsicha. Cada marmita é acompanhada de uma garrafa de água de 500 ml.

Às 21h30 já está tudo pronto. É quando os 13 voluntários, em média, fazem a Oração da Refeição, jantam a própria macarronada com salsicha que preparam com capricho, com direito a um toque de manjericão, e se preparam para ir às ruas efetuarem a entrega.

Antes de carregarem a pick-up da família, e às vezes mais um carro quando se faz necessário, realizam uma oração solicitando proteção de Deus e a Oração de Segurança no Trânsito.

Normalmente, vão dois voluntários na caçamba da caminhonete, geralmente os filhos Márcio e Ricardo, e dois na cabine, o próprio Prel. Wanderley e a Prela. Ilka.

“Saímos distribuindo para quem estiver com fome, indistintamente, tanto na região central de Manaus quanto na periferia”, conta a Prela. Ilka. Em geral, informa ela, eles chegam de volta, em casa, às 2h da manhã.

“Chegamos em casa cansados e felizes, com o coração repleto de gratidão, e fazemos uma resenha sobre a interação que tivemos e as frases que ouvimos, tais como ‘Deus existe’, ‘essa é primeira refeição do dia’, ‘eu sei quem é o fundador da Seicho-No-Ie, é Mestre Masaharu Taniguchi’, ‘‘vocês têm mais revistas?’”, descreve a Prela. Ilka.

Antes de sair para a entrega, uma oração é feita. Com o número crescente de moradores em situação de rua, há locais em que eles se aglomeram em gramados como o que existe em frente a um hospital. Para aqueles que estão dormindo, os voluntários observam o estado da pessoa e tomam o cuidado de, se for o caso, não despertá-lo, deixando ali, ao lado dele, o alimento que certamente será uma feliz surpresa quando acordarem. No Centro de Manaus, quando a pick-up chega, muitos sem-teto disputam as marmitas.

Encontramos todos os tipos de pessoas e não distinguimos a quem oferecer a refeição, sempre visualizando a Imagem Verdadeira de cada um. Vemos drogados, pessoas que precisam se prostituir, outras com tornozeleira eletrônica, mas nunca ninguém nos fez mal algum. Às vezes, as pessoas estão com tanta fome que nem conseguem agradecer. Outras, no entanto, agradecem muito e fazem oração antes de comer. Muitas levantam as mãos na direção do Céu e louvam a Deus, abençoando-nos na sequência. Quando as marmitas acabam, decidimos olhar só para frente até em casa, pois continuamos a passar por pessoas famintas”.

Preletora Ilka Yokoyama

Fazendo amigos, dando oportunidades, iluminando caminhos – Prestes a completar um ano sem ser interrompida por nenhuma semana sequer, através da ação foi possível inclusive fazer amigos. Um morador de rua, esposa e dois filhos, acabaram cativando o casal Yokoyama.

“Conseguimos um emprego de caseiro, em um sítio, com moradia, carteira assinada e ainda com direito a tudo o que plantam para sua subsistência”, revela a Prela. Ilka.

As amizades reservam também surpresas e formas de gratidão das mais inusitadas. Um morador de rua, artista que pinta quadros, presenteou a família com belas obras feitas com exclusividade, homenageando a Seicho-No-Ie.

“Também é muito gratificante ver várias pessoas pedindo a Revista da Seicho-No-Ie, pois relatam que percebem que alguns que realmente leem acabam conseguindo sair da rua e retomarem normalmente suas vidas”, relata a Prela. Ilka.

Famílias de marido, esposa e filhos têm conseguido deixar a situação de rua, principalmente após lerem as Revistas da Seicho-No-Ie. Algumas, contando também com a generosidade da família Yokoyama, na medida do possível, recebem oportunidades de emprego. Em retribuição ao carinho que recebem, alguns sem-teto usam de seus talentos para agradecer, como no caso do quadro feito em gratidão à Seicho-No-Ie.

O perfil dos voluntários é bastante diverso: uma professora da faculdade de medicina e estudantes; pacientes do consultório de odontologia da Prela. Ilka; amigos da Seicho-No-Ie; os queridos tios Jorge e Odete e a dona Olinda, entre outros. Alguns jamais haviam cortado uma cebola ou aberto uma lata de milho, mas realizam as tarefas com enorme satisfação e alegria, em meio a risadas e a doce sensação de dever cumprido.

Meu sonho não era reunir pessoas que apenas doassem dinheiro para que outras fizessem o trabalho filantrópico. Meu desejo era reunir empresários, doutores, e todos que quiserem colaborar, para que eles mesmos, com suas próprias mãos, cortassem a cebola e cozinhassem o macarrão com gratidão, agradecendo às pessoas que irão receber aquele alimento. E estou conseguindo realizar, pelo que sou muito grata a Deus”.

Preletora Ilka Yokoyama

Uma amiga da Prela. Ilka, proprietária da rede de restaurantes Gula Gulosa, doa grande quantidade de macarrão já cozido. A empresa RB Combustível colabora com a doação das garrafas de água. Um mercado de varejo, cujos proprietários são amigos da família, eventualmente doam salsichas. Há pessoas que fazem doação monetária via Pix. O perfil dos doadores, segundo a Prela. Ilka, é de pessoas de várias correntes religiosas, de evangélicas a católicas, e, claro, muitos da Seicho-No-Ie. A coleta de papelão doado para reciclagem, a fim de reverter em custeio para a macarronada, também é realizada pelo Prel. Wanderley, herança das amizades de quando era Comandante do Projeto Formando Cidadão, importante ação social da PM. Quando eventualmente falta algum item para completar as 300 marmitas, a família Yokoyama completa.

Em paralelo, a Família Yokoyama também realiza trabalhos filantrópicos em nome da Seicho-No-Ie, via Campanha Pró-Natal, e também a partir da participação da Regional AM-MANAUS em uma feira gastronômica realizada na capital amazonense, atualmente suspensa em razão da Pandemia. Fruto disso, repassam ajuda à Casa Vida, projeto de Irmãs Franciscanas que acolhem crianças cujos pais querem deixar as drogas. Em café da manhã oferecido aos acolhidos, a Prela. Ilka levou livros infantis da Seicho-No-Ie. Também foram doadas 10 cadeiras de rodas ao Hospital Centro de Controle de Oncologia.

Para quem desejar colaborar com a Macarronada da Família Yokoyama – Se o seu coração foi tocado com a ação promovida pela Família Yokoyama, para colaborar basta entrar em contato pelo e-mail ilkakaoru@gmail.com, ou pelo WhatsApp (92) 99142-6750.

A Prela. Ilka, ao ser perguntada sobre o que a move na busca incessante por levar alimento, esperança e renascimento às pessoas em situação de rua em Manaus, ela lembra do pai, emocionada. “Ele me dizia que tem coisas que só Deus pode pagar, e eu sempre digo: vou estar sempre em débito com Deus, pois, são tantas dádivas que recebemos. Muito obrigada”.

Compartilhe esta página!