Histórico da Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual da Seicho-No-Ie – Ibiúna (SP)

Conforme relatado nos livros A Luz Avança Transpondo Fronteiras e Uma Vida Dedicada à Pregação da Verdade, de autoria de Miyoshi Matsuda, a SEICHO-NO-IE DO BRASIL, em 1954, adquiriu uma área de 20 alqueires no alto da colina no município de Ibiúna – SP. Este terreno era do senhor Mitio Togashi que residia na cidade de Bauru, interior de São Paulo. Ele havia colocado à venda um terreno nos arredores da cidade de Ibiúna, próximo à estrada que leva a São Roque. No início, para angariar fundos para a construção da Academia de Treinamento Espiritual para Jovens, os 36 mil metros quadrados foram divididos em chácaras. Cada chácara foi vendida por 40 contos de réis, que seriam destinados à construção da Academia e às despesas de manutenção.

Como forma de agradecimento àqueles que colaboraram na construção da Academia de Treinamento Espiritual para Jovens, foi construído o mural de pedra (Tamagaki) com a gravação de seus nomes ao redor do Santuário Hōzō do Brasil.

Em 2 de agosto de 1954 foi realizada a cerimônia de lançamento da pedra fundamental e o início da construção da Academia de Treinamento Espiritual na cidade de Ibiúna – SP.

Em 2 de março de 1955, foi celebrada a cerimônia de inauguração da Academia de Treinamento Espiritual para Jovens da Seicho-No-Ie para divulgar a doutrina da Seicho-No-Ie, com o objetivo de formar líderes. Na ocasião, neste mesmo dia, ocorreu a solenidade de colocação do quadro do “JISSO” e “DEUS É AMOR”, escritos a mão pelo sagrado mestre Masaharu Taniguchi, juntamente com a sua foto e de sua esposa Teruko Taniguchi. Nesse ambiente solene, transbordavam lágrimas de imensa alegria entre os adeptos.

Eis a nova Academia tal como um castelo celestial no alto de uma colina e no telhado do segundo andar tremulava ao vento do outono a bandeira da Seicho-No-Ie, prometendo a felicidade à humanidade, proclamando a grande missão de iluminar a América do Sul. Todos que olhavam para cima eram tomados pelo sentimento de alegria, e em suas pálpebras brilhavam lágrimas de contentamento e todos que chegavam à academia proferiam palavras de admiração e não havia quem as poupasse.

  Graças à determinação e convicção dos pioneiros que abraçaram esta doutrina com fé inabalável e se dedicaram em prol do Movimento de Iluminação da Humanidade, hoje podemos desfrutar de grandes benefícios com o aprendizado e crescimento espiritual contínuo, baseados nos princípios da educação da Vida da Seicho-No-Ie, portanto, manifestamos nossa eterna gratidão e reverências a todos que direta ou indiretamente tornaram possível o Movimento da Seicho-No-Ie no Brasil.

Em 9 de julho de 1963, em visita do sagrado mestre Masaharu Taniguchi à Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual – Ibiúna (SP), ele exclamou: “Aqui é realmente uma terra santa”. A admiração não foi somente pela linda paisagem que se descortinou olhando daquela colina, mas também pela vibração sagrada que reina no local. Essa vibração se origina do sentimento de profundo amor das pessoas que construíram e cuidaram dessa Academia. Neste mesmo dia foi concluída a residência (Casa da Colina) para hospedar o mestre e sua esposa.

Em 1963, realizou-se o Curso Especial para Jovens com a participação de 527 cursistas, que foram orientados pelo sagrado mestre Masaharu Taniguchi.

O salão dos pioneiros, construído em 1955, tornou-se pequeno. Deixou de ser apropriado para receber novos adeptos com a expansão do Movimento  da Seicho-No-Ie e assim foi decidido pela diretoria, com a colaboração dos dedicados adeptos, a construção do novo salão da Academia Sul-Americana de Treinamento Espiritual da Seicho-No-Ie – Ibiúna (SP), solene e imaculada, digna para o treinamento espiritual de todos os participantes que nela adentram. A Academia é o ponto de partida onde se reúnem os apóstolos vindos de todos os cantos do Universo e salva toda a humanidade da ilusão e do sofrimento, concretizando a paz e construindo o paraíso neste mundo terreno.