Almas Abortadas

A Pequena Vida pede socorro

É difícil mensurar uma estatística confiável sobre a realidade das ocorrências de aborto provocado no Brasil, pois este ato é considerado crime do ponto de vista legal, o que faz com que quem o pratica não relate a ocorrência, mesmo que para efeito de pesquisa. O PNA (Pesquisa Nacional de Aborto) estima que o índice de abortos provocados entre a população urbana seja de mais de uma em cada cinco mulheres ao completar quarenta anos. Levando-se em conta que o número de abortos é sempre maior que o número de mulheres que abortaram, pois uma mulher pode provocar mais de um aborto, e que esta pesquisa refere-se exclusivamente a população urbana, desconsiderando então a população rural e a população sem alfabetização, podemos fazer ideia de que o número real, se incluída a população em geral, é bem superior ao apresentado.

No mundo, estima-se que sejam praticados de 46 a 55 milhões de abortos provocados por ano. Por dia, seriam 126.000. (dados http://aborto.aaldeia.net/estatisticas-aborto-mundo).

Precisamos elevar a consciência espiritual da humanidade para que esses números sejam modificados. Defendemos a vida em todas as suas manifestações, pois a Vida, seja de um ser humano, de um animal, de um vegetal ou de um feto recém-gerado, é Vida de Deus.

 

 

Por que a SNI é a favor da Vida?

“Quando uma mulher concebe um filho, não se deve pensar que foi ela quem o fez ou não. Se, com tal pensamento ela abortar um filho precioso, estará plantando uma infelicidade futura, pois com este ato estará pisoteando, exterminando e jogando fora o direito de viver do bebe que deveria nascer. Não se deve cometer o maior dos pecados que é o de matar um Ser Humano.”

(Livro: Existe um Modo Esplêndido de Viver, 1° Ed., pág. 40 -41)

 Devemos, pois, defender a pequena vida. O aborto é um crime moral e social, e provoca culpa em quem o pratica, além de outras consequências de ordem física e espiritual.

Mamães e futuras mamães, saibam que Deus criador do Universo sempre concede todas as condições necessárias á sobrevivência de uma criança, quando ela é gerada neste mundo. Cada filho de Deus tem uma missão especifica a cumprir e a interrupção desta missão pela prática do aborto só causa tristeza e sofrimento para a família. Vamos levantar os valores morais que sustentam a alma e assegurar que todos tenham o direito de nascer.

O aborto provocado por motivo “econômico” é um argu­mento que põe na balança a vida humana e o dinheiro, partindo de uma falsa premissa, sem nenhuma base para justificá-la. Mesmo que a lei do país permita provocar o aborto em determinado período da vida fetal, é uma lei equivocada, sujeita às consequências da lei do carma. A lei do carma é também conhecida como “lei da mente” e determina que “boas causas produzem bons efeitos” e vice-versa. Ao praticar aborto, momentaneamente a situ­ação torna-se mais fácil, mas, a longo prazo, certamente aparecerão consequências infelizes, ao contrário de uma boa causa, como salvar a vida humana.

A prática do aborto acarreta a perda de milhões de vidas para a nação anualmente, com prejuízo bem maior do que os causados pelas catástrofes naturais como terremotos, inundações e secas, tornando-se um grave erro político e “causa mental” que desencadeará catástrofes naturais.

A lei de causa e efeito se manifesta a longo prazo, e muitas pessoas ainda não se conscientizaram disso. É por isso que devemos promover corretas atividades doutrinárias para que, do modo mais rápido possível, um maior número de mães passem a ter e criar os filhos com tranquilidade.

Ao mesmo tempo, para os filhos abortados, deve-se orar pela paz dessas almas, transmitindo-lhes a Verdade “Homem filho de Deus, imortal e indestrutível”. Se não se fizer isso, acontecimentos infelizes começarão a ocorrer para os pais que praticaram o aborto, como também para os demais familiares, forçando o “despertar da alma” des­sas pessoas.

 

(Livro: Existe um modo esplendido de viver, Seicho Taniguchi, 1ª ed. 1999)

O Desenvolvimento do Feto

1° Mês

É o início do desenvolvimento do bebê, o embrião. Junto dele en­contra-se o saco vitelino que lhe proporciona os nutrientes das primei­ras semanas de vida. Ele está devi­damente acomodado no útero. Próximo ao final do primeiro mês, seu bebê é na verdade uma minús­cula sementinha, menor que um grão de arroz, com aproximada­mente 5 milímetros. Nas duas próximas semanas ini­ciará a formação do tubo neural (que dará origem ao cé­rebro e à espinha), do coração, do aparelho digestivo, dos olhos, das orelhas, dos braços e das pernas.

2° Mês

A partir da 5ª. semana o bebê apresenta um formato oval, e consegue-se perceber em uma das extremidades a formação do cére­bro e no restante a formação da estrutura corporal e dos membros. É neste período que o coração começa a bater, e começam a se delinear os olhos, as orelhas, a boca e as fossas nasais. Por volta da 8ª semana o saco vitelino perde sua função, e o cordão umbilical passa a alimentá-lo com nutrientes provenientes do corpo materno.

3° Mês

O feto já tem a cabeça bem delineada, um tanto desproporcional em relação ao corpo. Neste período formam-se as pálpe­bras para proteção dos globos oculares. O sistema circulatório e sistema urinário já estão funcionando, os órgãos genitais já se desenvolveram e os lineamentos do rosto já estão modelados. Nesse período aparecem sob a derme (pele) as terminações nervo­sas, e o feto já consegue reconhecer os sons maternos da respiração, dos batimentos cardíacos e da voz. Enquanto tudo isso acontece, ele flutua tranquila­mente no útero da sua mãe.

4º mês

Os olhos ainda estão fechados, mas as mãos e os pés começam a mover-se, embora a sua mãe quase não o perceba. No final do 4º. mês o bebê mede de 10 a 12 cm e seu peso pode chegar a 220 gramas. O cérebro começa a decifrar os sentidos. Boa parte das células nervosas já está formada e transmite impulsos nervosos, como os produzidos pelo tato e pela audição. O feto já sente prazer com a mas­sagem de carinho que a mãe faz na própria barriga.

5º mês

Nesta fase, a mãe começa a sentir os movi­mentos do bebê cada vez mais intensos. No inicio, a sensação é como movimentos das asas de uma borboleta dentro do seu ventre. O feto começa a ter um maior período ativo, e passa também por alguns períodos de re­pouso durante o dia. Neste mês o bebê cresce bastante, podendo aumentar até a 25 cm, e pesar de 350 a 500 gramas. Seu corpinho já está proporcional: cabeça – tronco – membros.

6º mês

Ao início do sexto mês o bebê começa a desenvolver os sen­tidos da audição, olfato, tato e paladar. A visão será o último dos sentidos a se desenvolver. Ele já reage a estímulos exter­nos como a luz e a música, e também percebe os barul­hinhos como o bater do seu coração ou os gorgulhos in­testinais. Agora a mãe deve preparar-se, pois começará a sentir de tudo: chutes, socos e cotoveladas que a farão vibrar de emoção; daqui para frente ela sentirá os movimentos de seu bebê cada vez mais e ele está com aproximadamente 33 cm e mais ou menos 700 gramas.

Durante o sétimo mês o bebê já consegue ter várias reações como: abrir e fechar os olhos e ter maior percepção da luz, distinguir entre o gosto doce e o amargo, e responder a cer­tos estímulos com choro. No fi­nal deste mês seu bebê cresceu e muito, chegando a pesar 1,3 kg, e medir entre 37 a 40 cm. À medida que ele cresce, vai ocupando todos os espaços no útero, que começa a ficar uma casa um pouco estreita para ele. Neste período a mãe deve descansar o quanto puder.

7º mês

Ao início do sexto mês o bebê começa a desenvolver os sen­tidos da audição, olfato, tato e paladar. A visão será o último dos sentidos a se desenvolver. Ele já reage a estímulos exter­nos como a luz e a música, e também percebe os barul­hinhos como o bater do seu coração ou os gorgulhos in­testinais. Agora a mãe deve preparar-se, pois começará a sentir de tudo: chutes, socos e cotoveladas que a farão vibrar de emoção; daqui para frente ela sentirá os movimentos de seu bebê cada vez mais e ele está com aproximadamente 33 cm e mais ou menos 700 gramas.

8º mês

Estamos chegando à reta final, logo a mãe estará com seu bebê no colo, e com certeza será o bebê mais amado do mundo. Agora seu crescimento se encontra num ritmo acelerado, e a maioria dos órgãos principais já está funcionando. O último órgão a se desenvolver é o pulmão; quando este pulmão es­tiver 100% maduro. Toda a estrutu­ra que compõe os olhos está per­feitamente desenvolvida. Também a audição já se desenvolveu e ele consegue reconhecer a voz da mamãe e do papai. Consegue perceber melhor os sons mais graves que os agudos. Ele está com aproximadamente 47 cm e pesa mais ou menos 2,4 kg. O mi­lagre da formação da vida humana no interior do corpo materno está perto de ser concluído.

9º mês

Finalmente é hora de nascer, e o bebê está prontinho para chegar ao mundo. A mãe não sente seu bebê se mexendo tanto como no mês anterior. Isso acontece por dois motivos, o primeiro é devido ao es­paço, seu bebê está bem apertadin­ho e se movimenta menos e o outro motivo é porque agora ele descansa e dorme, preparando-se para a hora do parto, Ele irá trabalhar bastante.

Nesse período a mãe precisa ter bastante energia. Em média, o peso de um bebê no final da gestação é de aproximadamente 3,3 kg, e sua altura pode variar de 48 a 52 cm.

 

É assim que acontece o milagre da Vida.

Consequência do Aborto

Existem sete comportamentos típicos que denotam a influência da alma de criança abortada sobre algum familiar:

  • Perda do ânimo nos momentos mais decisivos da vida como, por exemplo, às vésperas de exames importantes: o filho se esforça, mas um obstáculo poderoso o impede de perseverar. Isso reflete a imensa tristeza da criança abortada, impedida de cumprir a missão que recebeu de Deus.
  • Permanência em lugares escuros: durante o dia, o filho dorme com cortinas fechadas e mantém o quarto sempre em escuridão; à noite, perambula pelas ruas escuras, sem destino; muitas vezes anda em grupo, com menores que têm os mesmos problemas. Reflete a alma da criança abortada que perambula por um mundo deserto e escuro.
  • Desejo persistente de comer doces e tomar leite, como se fosse um bebê.
  • Mãos e pés constantemente gelados: alguns filhos não dispensam o aquecedor, mesmo no verão, para dormirem. Representa o frio que a criança abortada sente, pois foi lançada fora, nua.11
  • Rebeldia contra os pais: o filho irrita-se com os pais por nada, é agressivo com eles e às vezes tem vontade de matá-los. Representa o rancor da criança abortada contra os pais.
  • Desejo de ficar solitário: o filho não atende o amigo que vai visitá-lo e prefere se trancar no quarto; ou abandona o lar e anda a esmo pelas ruas, sentindo ímpeto de morrer. É o estado espiritual do embrião abortado.
  • Gasto excessivo de dinheiro: o filho gasta quantias absurdas, faz empréstimos fantásticos. Simboliza o desejo de autopunição dos pais que provocaram aborto pretextando motivos econômicos. O filho acaba gastando em jogos e em futilidades o que deveria ser gasto na criação e educação do irmão abortado.

 

Pela paz dos anjinhos – Prólogo

Kamino Kusumoto

Como proceder quando se praticou o aborto?

Arrependimento, amor e decisão de salvar outras vidas são as atitudes que os pais deverão manifestar ao se conscientizarem da eternidade da vida.

Ler diariamente a Sutra Sagrada “Chuva de Néctar da Verdade” para a alma do anjinho abortado, atribuindo-lhe um nome, como se estivessem carregando no colo este filho querido e abençoado.

Para maiores detalhes a respeito desta prática, procurar uma associação local ou um preletor da Seicho-No-Ie.

“A luz não deve ficar escondida. Não importa a ideologia das pessoas! Devemos levantar bem alto a Luz da Verdade, em defesa das pequenas vidas!”

-Kamino Kusumoto-

Somos a favor da Vida

SEICHO-NO-IE DO BRASIL
Av. Eng. Armando de Arruda Pereira, 1266 – Jabaquara — São Paulo CEP 04308-900 — Tel: (11) 5014-2299WebSite: www.sni.org.br

Monumento dos Anjinhos Anônimos

A Cerimônia em Memória aos Anjinhos Anônimos do Brasil, países Ibero-americanos e África Latina acontece algumas vezes ao ano, na Academia de Treinamento Espiritual da Seicho-No-Ie em Ibiúna (SP). Uma delas é na ocasião da Festividade do Santuário Hoozo do Brasil, realizada no período da tarde, após a oração dirigida aos Antepassados.

Como doutrina de reverência á Vida em todas as suas manifestações, a Seicho-No-Ie esclarece que mesmo um simples embrião já aloja a Grande Vida de Deus dentro de si e é tão importante quanto a vida de qualquer outro ser humano. Portanto, é contra a Vontade de Deus a pratica do aborto, em qualquer circunstância e mesmo em países onde essa pratica é amparada pela lei. As almas abortadas sofrem grandemente pelo ato cometido e precisam de ajuda para se reerguerem no plano espiritual, para onde foram involuntariamente enviadas antes do tempo.

Dessa forma, a oração para essas almas, ainda não reconhecidas pela família, constitui um alento espiritual muito grande, sendo uma porta de salvação para elas.