Educação da Vida: amar é confiar

O que é a Pedagogia da Seicho-No-Ie?

É uma alegria estar com todos os senhores, senhoras, jovens, nesta reunião virtual da Seicho-No-Ie dedicada à Educação da Vida. Eu me sinto muito honrada a realizar esta reunião, pois a educação é algo que me toca profundamente, afinal, sou educadora, sou pedagoga. Falar de educação para mim é uma satisfação muito grande! Falo com muito amor e carinho sobre este tema.

Estava pesquisando o significado da palavra “pedagogia” e anotei na capa do meu livro “Pedagogia da Seicho-No-Ie”: no grego antigo, era pronunciada “paidagogo”. Palavra composta por paidos que significa criança, e gogia, que é conduzir, acompanhar. Do grego antigo, pedagogia, vem de pedagogo. E pedagogo, então, é aquele que conduz a criança.  Este termo, portanto, se referia ao escravo que levava os meninos à escola. Pedagogo, é aquele que conduz a criança a Educação. Achei tão bonito isso e me senti ainda mais orgulhosa a ser pedagoga, por que sou aquela que conduz a criança à educação.

Talvez, muitos educadores estão conosco agora, mas, os pais também são grandes pedagogos. Os filhos, o jovem, o adulto, são grandes educadores. Todo ser humano é naturalmente um educador, pois tem este ímpeto de conduzir outro ser humano à educação, ou seja, a um viver integral.

Pedagogia, resumindo, é um conjunto de técnicas, princípios, métodos e estratégias da educação e do ensino. Estuda os ideais de educação, segundo uma determinada concepção de vida, visando aperfeiçoar e estimular a capacidade das pessoas seguindo objetivos definidos. Achei bem interessante essa denominação atual.

A Pedagogia da Seicho-No-Ie tem essa concepção de vida inovadora! Daí a grande importância de estudá-la. Ela parte do princípio da vida espírito, da vida eterna, da vida imortal, da vida que existe verdadeiramente e que jamais irá desaparecer. Essa vida é o próprio Deus.

No início deste livro, “Pedagogia da Seicho-No-Ie” que eu recomendo a todos, logo no prefácio, temos os quatro itens importantes que serão tratados em seu conteúdo, os quatro pilares da Pedagogia da Seicho-No-Ie, também conhecida como Educação da Vida. Da vida, para a vida. E esta vida não é uma vida fenomênica, passageira, é uma vida real, eterna. São eles:

  • Princípio e método educacional, que nosso Sagrado Mestre Masaharu Taniguchi desenvolveu, com base na filosofia monista, que reconhece unicamente Deus e o que vem d’Ele. Monista significa uma única força, portanto, a Seicho-No-Ie acredita somente no Bem, e isso é a Criação de Deus. Ou seja, toda criação de Deus é Bem. Reconhecemos somente Deus e o que vem de Deus. Só existe Deus e a Imagem Verdadeira, que é Deus e a sua criação Perfeita. A Educação da Vida parte do princípio de reconhecer Deus e o que vem de Deus. A sua Imagem Verdadeira e o Bem.
  • Acredita que toda criança, todo ser humano, possui em seu interior, a natureza divina, a potencialidade infinita e ensina visualizá-la para extraí-la. Olha que interessante! A pedagogia da Seicho-No-Ie, além de crer na capacidade do ser humano e transmitir essa Verdade, de que dentro de você existe uma potencialidade infinita maravilhosa, grandiosa, te ensina a extrair. E como faremos isso? Através da força da palavra! Não basta apenas crer, é preciso usar a força da palavra. Quando você afirma que é filho de Deus, possuidor de capacidade infinita, você está extraindo. Quando você se elogia, você está extraindo. E você também, como educador, quando você elogia outra pessoa, através dessa força da palavra, a força do elogio, você estará extraindo essa potencialidade infinita.
  • A pedagogia da Seicho-No-Ie distingue, claramente, Imagem verdadeira e Fenômeno. Talvez você esteja assistindo pela primeira vez a uma reunião da Seicho-No-Ie e nunca tenha ouvido essa expressão “Imagem Verdadeira”. A Seicho-No-Ie explica que Imagem Verdadeira é Deus, e a criação perfeita de Deus. E o fenômeno é a projeção dessa Imagem Verdadeira. Porém essa projeção que se manifesta neste mundo palpável, dos cinco sentidos, e muitas vezes ela é “embaçada” pela mente humana em ilusão. Ainda que Deus tenha criado o Homem-Filho de Deus, perfeito, de potencialidade infinita, este homem, ao se manifestar nesta vestimenta chamada corpo carnal, neste mundo fenomênico, recebe a influência da mente – de si próprio e das pessoas – que, se não estiver afinada com a mente de Deus, Imagem Verdadeira, não se manifestará na sua plenitude.

Ao conseguirmos distinguir o que existe, do que está manifestado, ministramos uma verdadeira educação. Se ficarmos apegados apenas à manifestação, achando que isso é real, pensaremos: “Ah Deus, criou mesmo uma pessoa sem capacidade, um burro, um desajeitado, um desatencioso, um ser bagunceiro”. Então, quando entendemos o que é fenômeno e o que é real, que é inteligência infinita, é potencialidade infinita, é capaz, alegre, dinâmica, vigorosa, aquele fenômeno que é só manifestação desaparece, pois só tem existência verdadeira o que Deus criou. E Deus nos criou perfeitos!

A Pedagogia da Seicho-No-Ie vivifica sempre o agora, visando a exteriorização da capacidade latente nos educandos. Ou seja, nunca é tarde para você descobrir a sua potencialidade infinita, o seu talento, e manifesta-lo, expressá-lo. Só existe o agora, o momento é agora e não importa a sua idade, o gênero, a sua condição social. O que importa é que você é filho de Deus, e aqui e agora, você pode manifestar a sua capacidade infinita. O agora é eterno! E nós vivemos o eterno quando trabalhamos a Educação da Vida.

Fica a recomendação para você ler este livro e aprofundar nesses quatro itens.

 

Palavras de Sabedoria para Educação das Crianças

Tenho em mãos o “Livreto Shinsokan” cujo nome é “Meditação para Contemplar a Deus, Shinsokan e outras orações”. Shinsokan é o nome da nossa meditação, que fazemos todos os dias. Uma meditação contemplativa. Shin significa Deus. So significa pensar, Kan, contemplar. Então, nós vamos pensar de forma contemplativa em Deus. Este livreto contém outros textos maravilhosos, grandiosos e um deles, está justamente na página 42, que são as “Palavras de Sabedoria para Educação das Crianças”. São várias frases, de profunda sabedoria, que nos guiam para a verdadeira educação.

Elogiar e confiar para despertar a potencialidade infinita que se aloja na criança: Como nós acabamos de estudar, como filhos de Deus, temos essa potencialidade infinita e a Educação da Vida nos ensina a visualizá-la e extraí-la, por meio da força da palavra e elogio. Quando nós elogiamos, confiamos nesta criança. Por favor, leia ‘ser humano’. Confiar é uma forma de elogiar.

Filho revoltado ama os pais: Significa que quer o amor dos pais. Então, filho revoltado, na verdade, é aquele que mais ama os pais. E por amar tanto, ele se ressente em não se sentir amado. Lógico que os pais amam os filhos. Porém, se não expressarem esse amor, os filhos não vão sentir e vão se rebelar. Os filhos não vão dizer, claramente, “me ame” e sim, sendo desobediente, desacatando todas as ordens, não querendo estudar, não querendo ajudar em nada na casa, ou seja, contrariando todas as vontades dos pais. A verdade é que toda essa contrariedade é o grito de seu filho dizendo: “me ame, exatamente como sou”. E quando os filhos são amados, incondicionalmente, ou seja, sem nenhuma condição, quando sentem esse amor incondicional dos pais, eles farão tudo por eles, dando orgulho sempre.

A mãe sábia educa o filho com sorrisos e a tola implanta a revolta com reclamações: A mãe sábia está sempre transmitindo a sua felicidade em ser mãe deste filho, desta filha, queridos, maravilhosos. Desta forma, os filhos se sentem amados, sentem que a presença deles dá alegria para a mamãe, e sentem que eles cumprem a grande missão que é dar alegria aos pais. Quando os filhos sentem isso, eles se tornam filhos de Deus que expressam a sua natureza divina.

O filho muda quando mudam os pais: Não adianta querermos que os filhos façam coisas que nem mesmo nós fazemos. Que expressem virtudes que os pais não expressam.

Os pais educam pelo exemplo antes que pelo falar: Complementando o pensamento anterior, não adianta só falar “faça isso, faça aquilo”. É muito bonita aquela frase “vamos fazer juntos?”. 

Na hora do filho estudar, se possível, papai e mamãe estudem juntos. Criem aquele ambiente agradável de estudos onde os filhos sentem que não estão sendo sacrificados, punidos, enquanto os pais estão se divertindo, assistindo a TV. A criança não tem noção que os pais hoje podem assistir a TV porque, um dia, ficaram sentadinhos estudando. Eles não entendem. Então, ainda que pegue o seu livro, de adulto, sente-se ao lado da criança e estude com ela, participando do momento. A criança sente que no momento de estudar é o momento que a família está unida.

Os sorrisos, as palavras de amor e elogio, melhoram a criança: Melhorar, aqui, é no sentido de melhorar a manifestação da maravilhosa criança que já é. O educador sabe muito bem deste tripé: sorriso, palavras de amor e elogio. Esta é a verdadeira base da educação. Muito simples, não é? A criança cresce na direção em que for elogiada. Ela vai crescer como aquela planta que se volta para o sol, que é o elogio. Então, quanto mais ela for elogiada, mais ela vai se desenvolver. É um grande impulso, um grande incentivo para qualquer ser humano, é o elogio.

Bons filhos se formam no lar alegre: Diversão, alegria. Façam com que tudo se torne um momento de muita festa, de felicidade dentro do lar porque criança feliz estuda voluntariamente. Pronto! Já dei a resposta! Se seu filho não quer estudar é por que ele não está feliz.

Criança feliz faz tudo de bom, voluntariamente. A criança vai ser feliz quando ela sentir que é amada pelos mais, quando ela sentir que a vinda dela a este mundo trouxe alegria para o papai e para a mamãe. É esse sentimento que os pais devem estar manifestando para a criança para que ela se sinta feliz.

O seu filho não é seu, ele é filho de Deus: Olha que maravilha! É como se um peso saísse das nossas costas, não é mesmo? Ele é filho de Deus! Então, entregar seu filho sempre nas mãos de Deus é acreditar que Deus está sempre orientando, protegendo, guiando, o seu filho. Deus está sempre enviando boas ideias, e está sempre com ele, pois antes dele ser nosso, ele é filho de Deus.

Amar é louvar, confiar e libertar: Este é o ápice da Educação da Vida! É a educação que liberta o ser humano. Por que ao descobrir que o homem é filho de Deus, possuidor de potencialidade infinita, que só existe o agora e que, no agora eu posso tudo, que a origem é só existência verdadeira, eu me liberto! Eu me liberto de todos os fenômenos que me restringem, que me limitam, das palavras negativas de outras pessoas, dos diagnósticos taxativos, de todas as limitações, financeiras, econômicas, sociais, emocionais. Porque sou filho de Deus, tenho capacidade infinita e agora, aqui, posso manifestar. Essa é a grande Educação da Vida da Seicho-No-Ie.

Criança feliz faz tudo de bom, voluntariamente. A criança vai ser feliz quando ela sentir que é amada pelos mais, quando ela sentir que a vinda dela a este mundo trouxe alegria para o papai e para a mamãe. É esse sentimento que os pais devem estar manifestando para a criança para que ela se sinta feliz.

Por que amar é confiar?

Para continuar o nosso estudo, tenho em mãos o livro “Ensinando e Disciplinado os filhos”. É um livro adorável, de fácil leitura, fácil compreensão e é baseado na pedagogia da Seicho-No-Ie. É a pedagogia na prática, escrito por um dos discípulos do Sagrado Mestre Masaharu Taniguchi, Keiyo Kanuma. Professor e doutor em educação, adepto da Seicho-No-Ie, profundo conhecedor da Educação da Vida.

Na página 288, tem o tópico chamado Amar e Confiar: “Quanto à imagem aparente, as pessoas são seres distintos uns dos outros”. Por que achamos isso? Porque estamos vendo com os olhos carnais. Ao manifestar o filho de Deus, neste mundo fenomênico, nos manifestamos neste corpo carnal, que atua com os cinco sentidos (visão, audição, tato, olfato, paladar). Ao utilizar dos cinco sentidos, nós olhamos a criação de Deus de forma equivocada, limitada, pois o meu olho carnal consegue ver o meu corpo e o seu corpo, como algo distinto um do outro, pois é assim que está. Cada um tem o seu corpo carnal. Porém, o olho espiritual não vê essa separação. Apesar de o olho físico ver a matéria chamada corpo carnal, a visão espiritual, que é a visão do filho de Deus, consegue ver em todos a mesma Vida de Deus. Então, apesar de estar em corpos distintos, somos um só. Manifestar Deus, aqui e agora, neste plano fenomênico, é justamente isso. Este é um constante exercício que a Educação da Vida nos convida a fazer.

Voltando ao livro: “Quanto à imagem aparente, as pessoas são seres distintos um dos outros, mas, quanto à essência imperceptível aos olhos carnais, mantém a união original. Todos os seres do universo são manifestação da mesma Vida. Amar é conscientizar desta verdade”. Esta é a definição de amor que a Seicho-No-Ie nos ensina. Somos a mesma Vida de Deus.

Quando digo “eu amo você”, estou declarando que eu e você somos um. A sua alegria é a minha alegria. A sua tristeza é a minha tristeza. O seu problema é o meu problema. O seu êxito é o meu êxito. Então, viver essa unidade é a grande missão da nossa vida.

Continuando: “O Amor que se insere profundo, faz com a pessoa compreenda o sofrimento do outro e no intuito de aliviá-lo procura compartilhar esse sofrimento. O amor não vê defeitos.” Olha que lindo! O amor não vê defeitos. Se eu e o outro somos um, quando vemos o defeito no outro, estamos vendo em nós mesmos.

Ainda no livro: “Os pais que amam realmente o filho, não tocam na ferida dele, envolvem com carinho o ponto dolorido e esperam a cura. Eles fazem da alegria do filho a sua própria alegria. Interessam-se realmente pelas coisas que o filho se dedica, com entusiasmo e compartilham a sua alegria.” Os pais só poderão compartilhar do interesse dos filhos se os pais observarem os filhos. Se os pais forem realmente atentos aos filhos. Às vezes, o pai ou a mãe podem ser questionados: qual o talento do seu filho? E, simplesmente olharem para o alto e dizer: não sei!

O filho, certamente, está fazendo algo de muito interesse, mas muitas vezes o pai ou a mãe não está percebendo. Por isso é muito importante se interessar, estarem juntos. Claro que os pais trabalham, mas quando estiverem juntos, observe o que lhes dá alegria, aquilo que os filhos dedicam horas do dia. Pode ser que hoje em dia, seja no celular. Pois se sente ao lado dele, e veja o que ele está vendo, o que ele está fazendo. Se interesse por isso, participe, e juntos extraiam a melhor lição, pois nem sempre o que estão vendo é algo positivo. Mas, como educadores, vocês poderão ajudá-lo a extrair algo de positivo daquele momento. E claro, vamos disciplinar os nossos filhos.

Neste livro, há muitas dicas importantíssimas, pois, a criança precisa de disciplina. É preciso ter atenção. Observe.

O professor Kanuma ainda diz no livro: “Todos os seres do universo são manifestação da mesma vida. Amar é conscientizar-se desta verdade”. Então, quando amamos verdadeiramente, vamos dar atenção aos interesses dos filhos e, neste momento, estaremos sendo um só. Continua: “Quando a gente se interessa pelas coisas que os filhos se dedicam com entusiasmo, ao chegar a época oportuna, deixe os filhos seguirem o próprio caminho, sem prendê-lo com apego. Amar verdadeiramente o filho é soltá-lo, confiando nele. Sem amor não pode haver confiança. E, sem confiança, não é possível manifestar o amor de maneira correta. O amor e a confiança são como rodas paralelas de um automóvel.”

Vai chegar uma hora que, de todos os interesses que o filho teve durante a infância e a adolescência, ele vai focar em apenas um. Ou mais de um. Depende de cada ser humano, mas, logicamente vai haver uma seleção. E quando ele escolher, acredite, dê força, para que ele siga o seu caminho. Sem forçar.

Certa vez, ouvi a história de uma jovem que tinha adoração em desenhar. Ela queria fazer a faculdade voltada a essa área, do desenho, mas a mãe não aceitava de jeito nenhum. Ela que sempre criou e educou a menina e, agora jovem, já estudante universitária, não teve o apoio da mãe para seguir o seu caminho.

Forçosamente, a jovem estava cursando uma faculdade numa área totalmente oposta do interesse dela. Até que uma amiga da mãe, da Seicho-No-Ie, foi até a casa onde moram e conversou com a filha. Sentiu que o dom, o talento grandioso que a filha tinha nessa área do desenho. Convenceu a mãe, com muito amor, sensibilizando-a. À filha, os meus parabéns, pois estava obedecendo à mãe, mas, naquele momento ela ganhou o seu reconhecimento. A mãe sentiu que deveria abandonar o seu desejo próprio em prol da alegria e da felicidade, da manifestação da missão da filha. E foi uma alegria a filha poder iniciar o curso tão desejado.

Não devemos forçar. Forçando não vamos gerar gênios! É comum as pessoas falarem: Não existem mais gênios como aqueles que conhecemos. Mas digo que existem sim! Todos nós somos gênios!

Os gênios são frutos do reconhecimento da sua potencialidade, da liberdade para manifestar a usa potencialidade, do elogio e o incentivo que recebe ao seu redor, do esforço de si próprio, para manifestar o seu talento. Tudo isso são causas da genialidade. Reconhecer essa genialidade, elogiar, incentivar o esforço por manifestá-la. Desta forma os gênios vão continuar aparecendo. E tem muitos. Nós é que achamos que são somente aqueles nomes da história. Mas tenho certeza de que temos um grande nome dentro do seu lar!

“Confiar no filho é confiar na natureza verdadeira dele. Quando os pais não têm uma ideia clara no que confiar no filho, tendem a duvidar da capacidade dele.” Os pais não conseguem perceber aquele interesse da criança em algo e podem pensar que o filho não tem nenhuma capacidade específica. É preciso observar mais!

E então, como reflexo disso, não conseguem fazer os elogios, incentivar e, os filhos, começam a sentir e agir de modo a não merecer a confiança dos pais. Assim, torna-se mais difícil dos pais confiarem nos filhos e o ambiente do lar passa a ser insuportável.

“Com a mente presa ao aspecto fenomênico, que é transitório, não é possível confiar em nada e em ninguém. Só é possível confiar em algo que é imutável, que transcende o tempo e o espaço.” Não importa se agora o seu filho não está manifestando plenamente a sua capacidade. O importante é saber que essa capacidade existe. Não se prenda ao fenômeno. Se existe, vai manifestar! Essa é a crença do educador sábio. A confiança na natureza divina do ser humano é a base da verdadeira educação. Confiar na natureza divina até o final!

Lembro-me de um escrito do nosso Sagrado Mestre Masaharu Taniguchi falando sobre educação, onde nos deu um exemplo com uma toalha, relacionando a confiança incondicional na natureza divina. Quando temos essa confiança, conseguimos perceber algum talento, dom, missão na criança, até mesmo, por exemplo, ao apontar o lápis.

Uma criança desatenta na escola, não conseguia aprender, mas era um excelente apontador de lápis. Certa vez, o professor observando essa habilidade falou: nossa você tem um talento com madeira, excepcional!  Sabe o que aconteceu? Esse menino se tornou um grandioso escultor em madeira. Na época, ele apontava com a lâmina, uma faca. O professor percebeu a habilidade de manusear o instrumento, deixando o lápis de forma perfeita. Este elogio foi gravado profundamente na mente da criança, e ele se tornou um grandioso profissional. Se você perceber qualquer habilidade na criança, vai elogiando.

Trouxe uma toalha aqui para simbolizar o ser humano. Você pega uma pequena parte desse ser humano, parece tão pequeno, e vai elogiando, vai elogiando. Você elogiou apenas uma manifestação, mas, no final, todo ser humano crescerá junto. O ser humano vai crescendo conforme é elogiado e tudo vai se manifestando plenamente naquela pessoa e ela acaba adquirindo novas habilidades, graças ao fato de ter sido elogiado por uma única habilidade.

Isso me faz lembrar um filme chamado “Como estrelas no céu: toda criança é especial”. Esse filme é fantástico! É um filme indiano e conta um caso extraordinário de um menino que tinha dislexia, ou seja, dificuldade em ler. Ele não conseguia associar o símbolo com som daquela letra. E como ele não conseguia ler, ele não conseguia aprender.

Para ele, ir à escola era uma tortura, pois era rechaçado pelos colegas, discriminado, e essa dislexia se refletia também na insegurança até para se vestir. Ele não conseguia abotoar a camisa, amarrar o calçado. Até que ele foi mudado para uma escola onde havia um professor de artes, grande educador, que observou a potencialidade daquela criança ao vê-lo desenhando. Era um exímio desenhista. Quando viu o quanto desenhava bem, decidiu que trabalharia em particular com a criança que, por ter um grande talento, não poderia ser encoberto pela incapacidade em aprender a ler e escrever.

Iniciaram os trabalhos individuais, com a massa de modelar, fazendo elefantes e vários animaizinhos. A criança ficava embevecida em ver o professor ao lado dele, dando atenção, amizade, carinho, amor e, naquele momento, passou a manifestar sua habilidade com as mãos. Em seguida, começou a trabalhar com os blocos pedagógicos e junto com o professor, passou a criar coisas fantásticas.

O lado artístico era onde a capacidade infinita estava mais aflorada. Este menino começou a ser elogiado, começou a gostar de ir para a escola e se sentir autoconfiante. Com isso, começou a ler, a escrever, a se interessar pelo dia a dia na escola.

O professor teve a ideia de fazer com que ele fosse reconhecido e, então, criou um concurso de desenho com todos os alunos da escola. O menino ganhou o concurso, foi elogiado por todos. No dia do concurso, ele se vestiu sozinho, conseguiu abotoar a camisa e fazer o laço do calçado. Com tantos elogios, passou se mostrar mais centrado, mais equilibrado. Naquele ambiente, longe dos pais, pois a escola era tipo um internato, ele já se mostrava independente.

Com este exemplo, vemos a importância da educação verdadeira e a Educação da Vida preconizada pelo Sagrado Mestre Masaharu Taniguchi, amplamente divulgada por nós. É uma educação que extrai a potencialidade infinita do ser humano. 

Muito obrigada pela atenção de todos.

Estudo realizado por Lílian Súzi Baffi Norimatsu

Transcrição da Reunião Virtual sobre Educação transmitida no dia 16/07/2020 pelo canal do YouTube da SEICHO-NO-IE DO BRASIL