Diário de Elogios: como utilizá-lo e quais os benefícios

Maravilhosos filhos de Deus, muito obrigada.

Hoje estamos aqui, para a palestra programada pela Superintendência das Atividades dos Educadores da Seicho-No-Ie, e, é com muita alegria e gratidão, que lhes dirijo as palavras para conversarmos sobre o “Diário de Elogios”, que é produzido pela Seicho-No-Ie. Vamos explicar sobre a sua importância, como utilizá-lo e quais são os seus benefícios. Benefícios estes que são realmente extraordinários, maravilhosos!

Gostaria em primeiro lugar, que vocês fechassem os olhos. Pense em você mesmo. Como você se acha? Uma pessoa maravilhosa? Uma pessoa dedicada? Esforçada? Bondosa, prestativa, proativa?

E, agora, pense em relação a seus pais. Você os vê como pais maravilhosos? Sempre sente gratidão em relação a eles? Pela vida que lhes deram, pela educação que lhes deram, por tudo que lhes proveram para que você pudesse chegar até essa idade?

Agora, pense em relação ao seu marido ou a sua esposa. Que marido maravilhoso! Que esposa maravilhosa! Como lhe agradeço por ser meu companheiro ou minha companheira de vida. Uma esposa maravilhosa, que cuida maravilhosamente da nossa casa, dos nossos filhos. É assim que você pensa?

Pense agora, com relação aos seus filhos. Quem não tem filhos, pode pensar nos seus irmãos. Ao pensar nos filhos, lhes vem à mente todos eles sorrindo, alegres, muito amigos? Que filhos maravilhosos! Eu agradeço a cada momento de minha vida o fato de tê-los como meus filhos. É assim que você pensa em relação a eles?

Bom, esse é um exercício, que neste livro, “Educação do Renascimento”, o prof. Keiyo Kanuma, escreve porque é muito importante o que nós sentimos com relação aos nossos filhos. As pessoas que estão ao nosso redor, se manifestam de acordo com o que sentimos em relação a eles. A forma como você vê os seus pais, o seu marido, a sua esposa, os seus filhos, é a forma como eles estão se manifestando neste momento. Tudo se manifesta de acordo com a nossa visualização, a forma como nós os vemos. Visualizar é utilizar o poder da palavra. O pensamento, o sentimento, a palavra falada e a fisionomia, tudo faz parte do poder da palavra, do poder da visualização.

Muitas pessoas, no momento que falam de seus familiares, comentam sobre coisas negativas e, logicamente, se fazem isso, fatalmente eles se manifestam desta forma.

O Diário de Elogios é onde vamos registrar somente elogios a todos as pessoas, a tudo que você tem na sua vida.

Quando escrevemos elogios, estamos habitando a nossa própria mente a ver somente o bem. Portanto, o elogio não é para melhorar o outro, mas fazer melhorar a nossa maneira de ver o outro, fazendo com que a nossa mente que até então, via os defeitos, olhando para a imagem falsa (por que é falsa a imagem que está manifestada), seja direcionada para o lado correto que acredita e vê, com olhos espirituais, a perfeição do mundo de Deus.

O “Diário de Elogios” não deve ser utilizado como técnica ou expediente para melhorar as pessoas, pois assim, o resultado não será positivo. O elogio deve ser dirigido ao bem absoluto, à perfeição que está por de traz da aparência fenomênica. Desta forma, você obterá resultados surpreendentes e milagrosos.

O “Diário de Elogios” não deve ser utilizado como técnica ou expediente para melhorar as pessoas, pois assim, o resultado não será positivo. O elogio deve ser dirigido ao bem absoluto, à perfeição que está por de traz da aparência fenomênica. Desta forma, você obterá resultados surpreendentes e milagrosos.

Neste livro “Educação do Renascimento”, há vários depoimentos de pessoas que, ao começar o preenchimento do “Diário de Elogios”, tiveram uma transformação extraordinária na vida delas. Por exemplo, na página 212, existe o relato da Sra. Saito, que fala que, após de dois meses que começou a preencher, aconteceram coisas impressionantes, dentre elas, o que mais a comoveu, é que ela tinha dois filhos que eram fumantes e não havia uma pessoa que conseguisse que eles deixassem esse hábito. Eles fumavam todos os dias, mas enquanto a Sra. Saito escrevia elogios a respeito deles, ela não estava mais pensando no hábito de fumar. A mente dela foi voltada à visualizar somente o bem absoluto que está por trás dessa aparência de fumantes. Ambos deixaram de fumar completamente e também houveram transformações contínuas nos demais familiares. Em apenas dois meses!

É realmente extraordinária a forma que o “Diário de Elogios” foi até matéria de um programa da afiliada da Rede Globo, em Natal, onde a Seicho-No-Ie é mantenedora da escola CEIMAR. Nesta escola, é aplicada a Educação da Vida da Seicho-No-Ie, e todos os professores utilizam o “Diário de Elogios” para elogiar os seus alunos. O que antes alguns não conseguiam memorizar ou aprender, quando os professores começaram a preencher o diário para cada aluno, individualmente, com o tempo, eles começaram a obter as melhores notas da classe.

A Seicho-No-Ie apregoa sobre o Princípio do Relógio de Sol. O que é um relógio de sol? É um relógio que tem um pino no centro, e que, registra as horas somente quando o sol está batendo. Quando o sol incide, a sombra daquele pino, marca a hora exata.

Neste livro, “A Verdade da Vida, volume 7” –  que pertence a uma coleção de 40 volumes -, o prof. Masaharu Taniguchi escreve sobre a importância do princípio do relógio de sol: só registrar as coisas boas, só registrar os bons momentos, só relembrar das coisas boas que acontecem na vida. Esse é viver do princípio do relógio de sol.

Caro leitor, se você quer fazer com que o seu lar Seicho-No-Ie, lar do progredir infinito, viva bem, faça o possível para registrar apenas as horas radiantes, ou seja, lembre e fale somente de momentos alegres e felizes. Use o poder criador da palavra para expressar a alegria. Eis o segredo da felicidade.

Então, eis a importância de começarmos a registrar os elogios neste diário. Se você deseja adquirir, você pode por meio da livraria virtual da Seicho-No-Ie (www.sni.org.br/livrariavirtual). Se você ainda não tem, ou até que adquira, poderá comprar um caderno ou utilizar um que já tem em sua casa para começar a registrar. Logicamente, para quem não está habituado a tecer elogios, não é fácil começar. O livro “Educação do Renascimento”, que você também pode adquirir na livraria virtual, diz que quando você não encontra motivos para elogiar, você pode começar a agradecer: “Muito obrigado, muito obrigado, querido marido. Muito obrigado, querida esposa, eu gosto de você. Você tem o sorriso mais lindo do mundo”. Comece a escrever, mesmo que no momento, você não pense exatamente desta forma. Comece!

A partir do momento que você começa a visualizar a perfeição do outro, você fica preenchido de luz. Comece escrevendo algo em relação a você, por exemplo. Tem muitas pessoas que não conseguem fazer elogios a si mesmo. Visualize o ideal de pessoa que gostaria de ser.

O prof. Keiyo Kanuma dá o exemplo: “Eu elogio a mim mesmo, eu gosto muito de mim, eu adoro o Keiyo Kanuma do meu interior. Ele é corajoso, vigoroso, bem humorado, possuidor de profundo amor, adora a Deus, é esforçado e um bom filho”.

E assim, para quem não tem o hábito de elogiar, vá se exercitando! Em primeiro lugar, faça um elogio a si próprio e comece a registrar: Sou uma pessoa maravilhosa, que tem uma família maravilhosa, as pessoas gostam do meu sorriso, meus filhos e minha família adoram os pratos que preparo, eu adoro limpar a minha casa, adoro trabalhar, adoro os colegas de trabalho. Tudo que for para abençoar, você começa a escrever.

Em segundo lugar, elogie os membros da sua família, um por um, enaltecendo os seus pontos elogiáveis. Por exemplo: Muito obrigado, gosto muito de você, a sua imagem verdadeira é maravilhosa, gosto muito de você! É importante escrever com emoção e não mecanicamente. Quando completar, pelo menos uma página, você enxergará algum ponto positivo desta pessoa. É impressionante! À medida que vamos exercitando e tomando coragem para escrever coisas positivas a respeito da sua família, de quem você não nutria tanto afeto, começam a surgir motivos para elogiar esta pessoa. Elogie várias vezes e partir disso, aparecerão outros pontos elogiáveis.

Após elogiar os familiares, passe a elogiar a escola em que seus filhos estudam, as empresas em que seus familiares trabalham, o país, o presidente do seu país, o prefeito da sua cidade e assim por diante. Então, passe a carregar esse diário e lembre-se de escrever de manhã, à tarde e à noite. Caso não puder, deixe-o na cabeceira de sua cama para escrever, antes de se deitar, folhas e mais folhas, para abençoar as pessoas a quem você dedica amor.

Existe o relato de um pai, que estava desejoso que a sua filha se casasse. Para ele, ela estava passando da idade de se casar. Ele estava preocupado, mas aprendeu a preencher o “Diário de Elogios”. Começou elogiar a sua filha e agradecer a Deus e aos antepassados pela alma maravilhosa: Minha filha já está casada, é uma filha maravilhosa, harmoniosa. Ele comprou um caderno de 200 folhas e conseguiu preencher em dois meses com todas as palavras de elogios à sua filha. Então, ela conheceu uma pessoa maravilhosa, uma vez que no plano mental, tudo já estava concretizado. Ao mentalizar a filha casada, com filho no colo, estava traçando o projeto para concretização daquilo que era seu ideal. A felicidade dos pais é ver os filhos casados e felizes e então ela conseguiu contrair um matrimônio maravilhoso.

Desta forma, então, vemos a importância de nós preenchermos este diário com bastante sentimento. Se você estiver triste, é mais um motivo para começar a escrever elogios para si mesmo, esquecendo-se desta tristeza e relembrando os bons momentos da sua vida.

No livro “Orientações para mães”, que você pode também adquirir pela livraria virtual da Seicho-No-Ie, na página 23, há um relato maravilhoso. Aliás, a Seicho-No-Ie tem a reunião de estudos para mães, onde todas se reúnem na casa de uma pessoa, uma vez por semana, ou a cada quinzena ou uma vez por mês. Um preletor é convidado para fazer uma palestra e, ali mesmo, as mães aprendem a preencher o “Diário de Elogios”. Este livro traz vários relatos e depoimentos de mães que conseguiram transformar a sua família, que viviam um caos, com dificuldades financeiras, doenças intermináveis e que mudaram completamente no momento que começaram o preenchimento. Eu gostaria, sinceramente de apresentar este relato, então vou lê-lo para que não perder a fidelidade. O relato é da Sra. Arakaki, do Japão:

“Somos seis em casa. Meu marido, que é o sustentáculo do nosso lar, nossa filha mais velha de 17 anos, nosso filho de 11 anos e mais duas filhas com 8 e 3 anos de idade, respectivamente. Nossos filhos são maravilhosos filhos de Deus. Desde que coloquei a nossa casa a disposição para realização da reunião de mães, nosso lar tem se tornado um verdadeiro paraíso, reinando um ambiente harmonioso de louvores mútuos”. Olha que coisa maravilhosa! É o ideal de toda família, não é? Ter uma família onde todos se louvam?

Ela continua: “Devo isso a Seicho-No-Ie, meus dias têm sido uma sucessão de aprimoramentos. Graças à reunião de mães, compreendi por experiência própria, que o fato de uma mãe se empenhar na educação dos filhos, vendo apenas o aspecto fenomênico, não é o suficiente para fazer deles, bons meninos e meninas.” Porque aspecto aparente, nem sempre é o ideal. Por trás disso, existe o Filho de Deus maravilhoso! A vida de Deus perfeita que se aloja no interior de todos os filhos, de todos os familiares.

A mãe que se apega a aparência, a forma como os filhos se apresentam, está amarrando mentalmente com sua própria obsessão, ao invés de ajudá-los a progredir. Diz ela: “Aprendi que cada problema dos filhos é, na verdade, reflexo de algum problema dos pais, já que pais e filhos são espelhos recíprocos. Refleti sobre minha conduta de até então e pedi perdão aos meus filhos. A partir daí, a questão fundamental passou a ser: ‘Como poderia fazer para que se exteriorizasse, incessantemente, a vocação e as qualidades de meus filhos?”.

Foi a partir de então que ela passou a preencher o “Diário de Elogios” e a registrar, diariamente, a palavras de amor e elogios ao marido, aos filhos, aos pais, professores da escola, enfim, a todas as pessoas que a ajudavam de algum modo. Percebeu que, ao elogiar os outros, sentia-se mais feliz. Havendo alegria dentro de si, o lar se tornou radioso, desaparecendo da sua mente os interesses pessoais. Os filhos passaram a agir exatamente como desejava que agissem.

Outra transformação que a Sra. Arakaki percebeu foi que, aproveitando da bondade e da generosidade do marido, agia apenas segundo a sua própria vontade. Arrependeu-se por ter sido egoísta, e tomou a decisão de tornar-se uma esposa mais dócil e maleável. Porém, confessa que nem sempre tem conseguido ser assim na prática. Realmente, não é fácil! Ela diz: “Quando me convém, é fácil concordar com meu marido, mas em outras ocasiões, minha vontade tenta se impor. É nessas ocasiões que percebo a importância do meu Diário de Elogios. Abro, e contemplando a Imagem Verdadeira de meu marido, escrevo palavras de gratidão a ele, até preencher completamente a página. Ao passar para a página seguinte, já começam a brotar, espontaneamente, palavras de paz, harmonia e amor. Procuro progredir incessantemente, esforçando-me para viver, cada dia de minha vida, fazendo da vontade de Deus, a minha vontade.”

Ela começa a dizer que antes, se preocupava com a filha de 17 anos, excessivamente, mas que conseguiu eliminar esse apego. A preocupação em relação à família e aos filhos é apego e isso faz com que, mentalmente, nós amarremos os nossos filhos, impedindo-os que consigam manifestar a sua perfeição interior.

O prof. Masaharu Taniguchi nos ensina que, se você pega uma galinha, segura ela no chão, e desenha em torno dela, com um giz, um círculo, mesmo que você a solte, ela não sai. Ela pensa que está amarada ali e não sai daquele círculo. Assim também, quando nós nos apegamos, preocupando-nos com os filhos, estamos amarrando mentalmente eles e impedindo-os de manifestarem a sua liberdade original de filho de Deus e expressarem a sua capacidade infinita.

A Sra. Arakaki ainda escreve: “Meu filho gosta de praticar esporte, é muito bom em matemática, mas era fraco em gramática. Por isso, fixei em sua escrivaninha um papel onde se lia: ‘Sou doutor em matemática, sou bom também em gramática, muito obrigado’.” E assim começou a agir em relação a cada um dos filhos e continua: “Realmente o mundo se manifesta conforme a visão que cada qual tem dele. Quando os pais mudam para melhor, os filhos também melhoram. Mudando nossa postura mental, tudo se transforma. Todos os problemas surgem de dentro de nós mesmos. Procuro esforçar-me para criar, além de bons filhos, formar um bom lar, tornar-me boa mãe, que sabe reverenciar os seus filhos como tesouros do lar e ser para o meu marido uma companheira dedicada e compreensiva”.

No relato, ela continua contando detalhes de como elogia os filhos. Recomendo a leitura deste livro. É algo gratificante!

Nesta época da quarentena, estou com a família do meu filho caçula em casa e cuidando da netinha de um ano de idade, que é surpreendente! Antes de nós comermos, por hábito, em japonês nós falamos “itadakimassu” ao juntarmos as mãos. É como se disséssemos: “Deus, muito obrigado pela comida, vou me servir.” Então, nos vendo, ela começou a juntar aquelas mãozinhas, pequenininhas, e abaixar a cabecinha. Toda vez que ela faz isso, nós todos aplaudimos. Agora, quando ela faz “itadakimassu” e junta as mãozinhas, ela mesma começa a aplaudir. Também, quando a levo na área comum do prédio, lá embaixo, ela vê a senhora da faxina, varrendo, catando o lixo e jogando. Pois agora, quando ela está andando pelos corredores e vê qualquer lixo, ela mesma pega e vai até a lata do lixo. Então, eu aplaudo, dizendo: “Parabéns!” Agora, também, quando ela joga o lixo na lata do lixo, ela mesma aplaude, por que lógico, ainda não sabe falar. É uma coisa impressionante e se nós nos habituarmos em aplaudir os nossos familiares pelas coisas maravilhosas que eles fazem, e pelo fato deles existirem, enalteceremos a Imagem Verdadeira deles e vão se manifestar da forma como nos dirigimos em relação a eles. Este é o mérito de preencher o “Diário de Elogios”.

Comece você, a preencher este “Diário de Elogios”. Este, que estou em mãos, deve ter umas vinte folhas. São poucas, mas é surpreendente o resultado que terão quando começarem. É como se começasse a preencher de luz a sua mente. Quem se beneficiará mais é você própria, pois se preencherá de paz e harmonia o seu coração. É como entrar em estado de meditação. Aprenderemos a ter uma concentração total. É o passo inicial para se aprofundar na prática da Meditação Shinsokan. A Meditação Shinsokan é a meditação da Seicho-No-Ie onde nós só visualizamos Deus. Só visualizamos luz.

A partir desta prática, do “Diário de Elogios”, treina-se para aumentar de contemplação do bem e do sentimento de unidade com Deus, eliminando assim, a dificuldade de se praticar a Meditação Shinsokan. Enfim, preencher o “Diário de Elogio” é treinar a mente a só visualizar o bem. E quando visualizamos o bem, estamos visualizando Deus do nosso interior e do interior de todas as pessoas, transformando o nosso lar em um verdadeiro paraíso.

Muito obrigado pela oportunidade de poder esclarecer sobre o preenchimento do “Diário de Elogios”. Muito obrigada.

Estudo realizado por Marie Murakami

Transcrição da Reunião Virtual sobre Educação transmitida no dia 09/07/2020 pelo canal do YouTube da SEICHO-NO-IE DO BRASIL