A influência dos pais no rendimento escolar dos filhos

A aplicação do ensinamento “Reconcilia-te com todas as coisas do céu e da terra (…)” na educação tem como objetivo básico promover a convivência harmoniosa de todas as pessoas, todos os seres e todas as coisas.

Este é o “caminho” para uma vida familiar harmoniosa. As vibrações dos pais influenciam no comportamento dos filhos, nos estudos e também no caráter da criança em desenvolvimento.

Os pais geralmente utilizam palavras que “cobram” uma conduta de seus filhos, seja nos estudos ou no comportamento deles. Utilizam palavras tais como: “Você precisa melhorar”, “Você precisa se esforçar”, “Você precisa corrigir esse defeito”. Assim, os pais, na intenção de melhorar as notas escolares e o comportamento dos filhos, passam a utilizar palavras negativas que acabam por criar nos filhos a ideia de que eles só têm defeitos. Isso faz com que os filhos, pela ação do poder da palavra, passem a acreditar que eles somente têm defeitos e que não são capazes. Essas palavras ficam fortemente gravadas na mente dos filhos e acabam por causar efeitos danosos. Mesmo que eles se esforcem em melhorar, não o conseguem, por mais que estudem e consequentemente não conseguem assimilar as lições.

A influência das palavras dos pais se reflete no comportamento, na autoconfiança e também, como já dito, no caráter dos filhos.

A influência das palavras dos pais se reflete no comportamento,
na autoconfiança e também, como já dito, no caráter dos filhos.

Segundo Oscar Wilde, “Todas as coisas são primeiramente expressas em palavras e só depois se concretizam. Em outros termos, a expressão vem antes, e a vida prática acompanha”. O poder da palavra é muito eficaz. A palavra se antecipa a fatos concretos da vida, isto é, a vida procura imitar aquilo que foi expresso em palavras. “Palavra” não é apenas o conjunto de sons emitidos pelas cordas vocais. Nas Escrituras Sagradas consta que “Todas as coisas foram feitas por intermédio do Verbo (Palavra)” – João, 1-1.3.

“Palavra” é vibração espiritual, uma espécie de onda de pensamento. Esta onda, em particular, é invisível aos olhos físicos e, porém, manifesta-se por meio da vibração no mundo fenomênico como matéria perceptível aos sentidos. Portanto, alterando-se a vibração, ocorre a mudança no aspecto manifestado.

Muitos filhos estão sendo gravemente prejudicados pelos próprios pais, que por desconhecerem este princípio, emitem vibrações mentais danosas e proferem palavras com vibrações de influência negativa. Por amarem seus filhos e desejarem melhorá-los, vivem apontando-lhes apenas os defeitos e dirigindo-lhes palavras de recriminação.

Certa feita, um adolescente de 15 anos de idade, filho de um empresário, começou a negligenciar os estudos e se envolveu com uma turma de desordeiros, e como tinha uma família rica, era convidado pelos amigos e sempre pagava as contas dos nas boates, bares e festas. A escola o suspendeu das aulas pelo seu mau comportamento. Os pais, preocupados, o repreendiam a fim de corrigi-lo. No entanto, quanto mais era repreendi- do pelos pais, mais rebelde ele ficava e o seu comportamento piorava. A mãe, em busca de solução para este problema, foi conduzida por um amigo da família até o prof. Masaharu Taniguchi para uma orientação. O prof. Taniguchi, ouvindo o relato da situação, percebeu que a causa estava na atitude mental dos pais. Eles somente viam os pontos negativos do filho e viviam recriminando-o. A mãe dizia em tom de amargura: “Professor, esse menino é terrível. Veja: até a cara dele parece de um bandido”. Então, o prof. Taniguchi disse a ela: “Procedendo assim, a senhora não conseguirá melhorar o seu filho. Em primeiro lugar, corrija a sua postura mental. Em segundo lugar, harmonize-se, reconcilie-se com tudo e com todos”. Na verdade, o casal estava em desarmonia com um antigo amigo que consideravam até como pai, mas que devido a um mal-entendido cortaram as relações e estavam muito constrangidos com o acontecido.

Quando o prof. Taniguchi disse para se reconciliar com tal pessoa e desfazer o mal-entendido, eles seguiram seu conselho e foram até a casa desse antigo amigo.

Quando o casal estava na casa deste senhor, procurando se reconciliar com ele, aconteceu um fato estranho na casa do casal, que se localizava em outra cidade. O filho que vivia em más companhias, negligenciando os estudos, repentina- mente foi para o seu quarto e começou a estudar, surpreendendo a sua irmã com este inesperado comportamento.

O que podemos aprender com este fato? É que as mentes se comunicam, principalmente entre pais e filhos mesmo estando distantes. A mente das boas vibrações mentais de harmonia dos pais se refletiu no filho. Mas, o garoto continuou frequentando a mesma escola onde os desordeiros o perseguiam e ainda era tachado pelos os professores e colegas de desordeiro e rebelde, e isto o impedia de melhorar completamente. Por que isto acontecia?

Primeiramente, em razão das influências das vibrações negativas e da força da palavra. Por conta disso, ele era tachado de mau elemento por todos ao redor. É por este motivo que os assim considerados “maus elementos” dificilmente conseguem se regenerar. Também na educação, é fundamental que o educando receba boas vibrações mentais das pessoas ao seu redor. Desta forma, o prof. Taniguchi aconselhou aos pais que transferissem o filho para outra escola. E após esta transferência, este jovem recuperou-se completamente. E por que isto aconteceu?

No novo ambiente escolar não havia ninguém que o tachasse de mau-elemento; e a mãe, seguindo as orientações e aplicando a Educação da Vida, passou a proceder de forma diferente. Quando o filho se enfurecia, ela ia para outro apo- sento e mentalizava: “Esta agressividade é apenas aparência fenomênica do meu filho. A verdadeira natureza dele é a de filho de Deus, repleto de paz e harmonia, que nunca tem acesso de raiva ou violência”.

Então, como por milagre, o filho logo se acalmava. Na verdade, a mãe, que antes o recriminava: “Você é malcriado, etc.”, é que se manifestava de acordo com a lei mental. Quando ela passou a mentalizar sua perfeição interior, ele deixou de ter acessos de agressividade, e isso é um fato e não teoria. A verdade é que esse adolescente se tornou calmo e aplicado nos estudos.

Esse caso nos mostra o quanto é fundamental a harmonia do casal com todas as pessoas, coisas e fatos e também como é importante cuidar com respeito às palavras dirigidas aos filhos no cotidiano.

A Educação da Vida nos ensina que devemos ver em todas as pessoas a sua natureza divina. Essa é à base da verdadeira educação.

 

Escrito por Helena Aparecida Moreira de Carvalho Guedes

Artigo publicado em: Revista Fonte de Luz – Ano LIV - Nº589 – Janeiro/2019 - pp.10-13 - Seção: Educação da Vida em Família