Como os atritos mentais influenciam na vida familiar

Caros amigos que acompanham a Comunidade Família – Harmonia Familiar. Muito obrigado.

É com imensa alegria que vamos estudar nesta oportunidade o tema: “Como os atritos mentais influenciam na vida familiar”.

 

No livro Para Realizar o Amor e a Oração, à pág. 112, o Prof. Seicho Taniguchi explica: “A vida é um palco criado por Deus. (Deus não cria o roteiro, mas sim o palco e os atores.) Deus cria infinitas ‘ramificações’ Suas, que são filhos de Deus, e eles, como atores, representam várias peças. Assim, nesta vida são apresentadas peças dos mais variados enredos: histórias de amor infeliz, de luta, de doença, de harmonia, etc.”

Continuando no livro, à pág. 113: “O artista que chamamos de ‘ser humano’ se encarrega de escrever, dirigir e representar a sua peça da vida.”

Como podemos perceber, nós mesmos tornamos nossa vida um paraíso ou um inferno, tudo depende do que “escrevemos” na peça teatral chamada vida.

Como nos ensina o Prof. Seicho Taniguchi, o “ser humano” se encarrega de escrever, dirigir e representar. Naturalmente ele faz tudo isso através da mente. Se compararmos a mente, a um motor, o combustível para fazer funcionar a mente é, sem dúvida, o pensamento. E quando colocamos um aditivo chamado sentimento, a mente funciona com mais potência.

Se esse combustível, que é o pensamento, e o aditivo, que é o sentimento, produz a vibração de bondade, amor, confiança, etc, manifestará na vida dessa família somente a felicidade. Porém, se os pensamentos e os sentimentos forem de ódio, mágoa, desconfiança e ciúmes, essa família, lamentavelmente, viverá uma vida deplorável.

 

O livro A Verdade da Vida, volume 40 contém muitos assuntos interessantes, dentre eles, gostaria de abordar sobre o capítulo: “Sentir gratidão de modo natural e dócil”. Na página 137, o autor, Sagrado Mestre Masaharu Taniguchi diz: “Existem muitas pessoas que se queixam do pai, considerando-o intransigente e egocêntrico. Contudo, na maioria das vezes, não é exatamente o pai que é assim, mas os filhos. O filho nega o fato de estar odiando o pai ou a mãe, porque isso lhe causa sentimento de culpa. Então, conscientemente acha que está amando os pais, mas no subconsciente os odeia. Esse conflito mental entre o consciente e o subconsciente gera grande sofrimento ao filho e se manifesta como anormalidade na saúde, no procedimento ou na personalidade.” E assim, percebemos como a mente se manifesta no corpo. Imaginem quando o conflito é maior ainda. Creio que todos sabem que é uma pena, mas existem famílias, que podemos dizer que vivem uma “guerra declarada”, como conflitos conjugais, irmãos que não se amam, casais que não se respeitam, etc. Naturalmente, esses atritos mentais não conduzirão os membros dessas famílias para uma vida digna de Filho de Deus.

 

O modo de Viver da Seicho-No-Ie consiste em ver a Imagem Verdadeira das pessoas, coisas e fatos. Se eu não consigo ver a perfeição no outro, não é por que o outro não foi criado à Imagem e Semelhança de Deus, mas, é porque nesse momento eu não tenho a capacidade de ver o belo no outro.

Ainda no livro A Verdade da Vida, volume 40, na página 142, o Professor Masaharu Taniguchi continua: “Se passarmos a visualizar sempre o mundo da Imagem Verdadeira, o mundo do Eu verdadeiro e o homem autêntico criado por Deus que habita esse mundo da Imagem Verdadeira, compreenderemos que as pessoas que até então nos pareciam desprezíveis, egoístas e insignificantes eram simples imagens vistas através da lente da nossa mente.” Basta então, limpar essa lente mental. De que forma? Através de palavras que ressaltem o filho de Deus perfeito que existe no outro, de palavras de elogio, de gestos que manifestem carinho, docilidade, etc.

Tenho certeza que, dessa forma, aquilo que aparentemente era desprezível se manifestará como perfeição, e, se os membros de uma família procederem dessa maneira, viverão uma vida de plena felicidade.

Na página 171 do mesmo livro, o sagrado mestre continua: “Conclui-se, assim, que o casal forma uma unidade, ou melhor, que o casal e os filhos formam uma unidade. O filho adoece quando mentalmente os pais não estão em harmonia.” Isso não acontece somente entre pais e filhos. Pode acontecer de o casal adoecer em virtude da desarmonia. Tudo isso acontece porque as mentes se comunicam; mais forte ainda entre familiares, em especial pais e filhos.

Como podemos perceber neste estudo, a mente em conflito dentro do lar repercute na infelicidade do casal e dos filhos. É necessário refletir neste momento: “qual é a minha postura mental em relação aos familiares, no que eu preciso mudar para fazer do meu lar um paraíso?”. Reflexione e decida firmemente praticar a doutrina da Seicho-No-Ie, pois você merece ser feliz, sua família merece ser feliz e seus descendentes merecem colher os frutos do seu esforço e amor manifestados no seu dia-a-dia.

 

Desejo que sejam cada vez mais felizes, até a próxima!

Muito obrigado.

 

Mario Gabriel França Silva

Preletor da Sede Internacional