Página Principal
Academias
Sobre a Seicho-No-Ie
Forma Humana
Práticas e Cerimônias
Presidentes
Meio Ambiente
Museu Histórico
Organizações
Artigos
Relatos
Notícias
Mensagem do Dia
Lista de Orações
Sede Central
Domingo da SNI
Semana da Paz
Seminário da Luz
Programação 2013-2014
Seicho-No-Ie no Ar
Revistas da SNI
Círculo de Harmonia
Enkan
Brasil Português
Brasil Japonês
América Latina
Outros países
Fale Conosco
Webmaster
Regras de Internet
Direitos Autorais
 


Cerimônias em Memória dos Antepassados e das Almas dos Povos que foram escravizados (negros e índios) são realizadas nas Academias de Treinamento Espiritual de Santa Fé–Bahia e Santa Tecla–Rio Grande do Sul, nas Regionais e Associações Locais.


Aprendemos na Seicho-No-Ie a importância de agradecermos e reverenciarmos àquelas pessoas que nos antecederam em nossas famílias. E é por esta razão que a Seicho-No-Ie realiza as Cerimônias em Memória dos Antepassados, em que orações são oferecidas àqueles que nos deram a oportunidade de vivermos com mais conforto e felicidade. Especialmente no Dia de Finados, tais Cerimônias são realizadas com a presença maciça dos adeptos da Seicho-No-Ie.


Academia de Treinamento Espiritual de Santa Fé - Bahia

Na manhã do Dia de Finados, dia 02 de novembro, foi realizada a 9ª Cerimônia em Memória dos Antepassados (Região Nordeste). A Cerimônia foi conduzida pelo Aspirante a Preletor da Sede Internacional, José Maria Coelho, e contou com a participação de 912 pessoas. Foram consagrados 113.647 Registros Espirituais.

Desde a 1ª Cerimônia, realizada em 2003, esta foi a primeira vez em que o evento foi realizado sob forte chuva, que começou a cair na região a partir das 3 horas da manhã e se estendeu até altas horas da noite, deixando a estrada de acesso à Academia em péssimas condições de trânsito, por não ser asfaltada. Ainda assim, quase 1.000 pessoas, puderam manifestar seus sentimentos de amor e gratidão aos seus antepassados comparecendo à Cerimônia.

A decoração do altar estava impecável e a mesa com as oferendas enchia os olhos e o coração, homenageando aqueles que retornaram antes de nós ao mundo espiritual.

David e Adriana, dois dirigentes que estavam presentes e que viajaram desde Vitória, Estado do Espírito Santo, disseram que estavam muito felizes por comparecerem à Cerimônia e poderem demonstrar sua gratidão aos antepassados de suas famílias.

No período da tarde, a partir das 13h30min, deu-se início a 6ª Cerimônia em Memória das Almas dos Povos que foram Escravizados (negros e índios) do Nordeste. Em razão das chuvas, a Cerimônia foi realizada no Salão Nobre da Academia, e não em frente ao Monumento consagrado aos Povos Escravizados.

Comidas e iguarias que eram apreciadas por tais povos foram oferecidas, como uma forma simbólica de gratidão e respeito.

 

Academia de Treinamento Espiritual de Santa Tecla – Rio Grande do Sul

Nos mesmos moldes das Cerimônias realizadas no Nordeste, tais Atos de Gratidão foram também oferecidos às Almas dos Antepassados e dos Povos Escravizados no Sul do País. O Preletor da Sede Internacional Junji Miyaura foi o condutor da 8ª Cerimônia em Memória dos Antepassados (Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul) e a 6ª Cerimônia em Memória das Almas dos povos que foram escravizados (negros e índios) no Sul.

Na Cerimônia em Memória dos Antepassados, que ocorreu no período matutino, foram consagrados 120.044 Registros Espirituais. Mais de 2.000 pessoas estavam presentes aos eventos e puderam, como nos anos anteriores, expressar sua gratidão e amor aos seus ancestrais.

 

Por que na Seicho-No-Ie são feitas oferendas de alimentos para espíritos?
“No budismo, no dia de Finados, oferecem-se os melhores pratos diante do oratório, antes de proceder á leitura da Sutra Sagrada budista. Todavia, os espíritos ‘alimentam-se’ efetivamente, não do alimento material, mas da intenção (pensamento) de quem oferece o alimento. O desejo de oferecer pratos cuidadosamente preparados a pessoas falecidas faz com que o espírito dela fique prazerosamente ‘saciado’ só com essa intenção repleta de amor.”

“Fazemos oferendas de alimentos, mas os espíritos se saciam com nossa intenção em oferecer-lhes algo agradável. Mesmo os espíritos elevados aceitam com satisfação o sentimento de amor que motiva a oferenda, embora sejam indiferentes à matéria oferecida. Nossos bons pensamentos ‘nutrem’ os espíritos, levando-os a atingir mais cedo altos graus de evolução, enquanto os maus pensamentos os ‘intoxicam’, aumentando os sofrimentos deles e mantendo-os em ilusão por mais tempo”. (Do livro Melhore Seu Destino Orando Pelos Antepassados, pp. 30 e 31).


Cerimônia de Santa Fé
Cerimônia de Santa Tecla